Crônica: Querido Papai Noel

Eu sentado em um letreiro com as palavras HO HO HO
#pracegover Estou sentado na letra “O” de uma placa onde está escrito “Ho-Ho-Ho”, de óculos escuros e uma camiseta rosa. No fundo, várias árvores e uma grande e colorida árvore de Natal.

Querido Papai Noel, sei que está ocupado, mas você é a única pessoa que confio e você deve me ouvir.

Este ano não foi o mais tranquilo de minha vida, mas isso não o torna um ano ruim. Na verdade, meu crescimento dependia das transformações que passei em 2017.

Pela primeira vez, dediquei grande parte do meu tempo a mim, ao meu trabalho e isso me trouxe tanto amor, tanta bondade, carinho e consideração que pouco me importei com o que me deixou ruim.

Muitas vezes deixamos nos abalar e damos importância para as pequenas coisas que nos chateiam, mas quando deixamos de esperar que os outros nos deem consideração e prestígio, tudo começa a fluir com naturalidade e essa consideração chega de quem você menos espera e no momento que você mais precisa. Talvez o reconhecimento não venha de quem esperamos, mas de quem realmente tem apreço por nós.

Querido Papai Noel, não poderia estar tão grato pelo maravilhoso ano que me ofereceu e que, de tanto pedir, fui atendido em tudo que necessitava.

Querido Papai Noel, peço perdão por não ter dado tanta importância para o Natal deste ano, mas o tempo passou tão rápido que o cansaço me impediu de tirar 10 minutos para fazer uma decoração ou desejar Feliz Natal para todas as pessoas que gostaria.

Querido Papai Noel, não pedirei nada para o ano que vem, prometo. Acho que já tenho tantas coisas boas que só irei aproveitar cada uma delas, sem reclamar ou cobiçar outras coisas que não preciso.

Querido Papai Noel, obrigado por me salvar e por estar comigo quando mais precisei.

Até o ano que vem,
Pequeno Pedro.

Feliz Natal!

Anúncios