The Birthday Sailor

birthday-sailor

Rainy day, white shirt and a big smile in my face. For the first time in my life I’m so happy to grow up.

I opened my eyes and I saw everything I wanted right in front of me: Friends, family, lots of presents and, outside the window, I can see the West Coast.

Every man in my crew is celebrating my birthday with me. Some of them I don’t even know. The girl I love is also here. I couldn’t be more happier.

I wish I could be dreaming. And I really was. There was no present, no friends, no family, no love.

My momma told me once that dreams do not come true if you don’t move on and try to make them true. That’s when I discovered I am special. I’m the biggest sailor of all Pacific Ocean, but my biggest adventure was to be the way I am.

For the first time I haven’t drunk a few drinks before the party started. My head isn’t heavy and my feet don’t seems tired.

For the first time I made up my mind and decided to celebrate with those who really supports me.

For the first time I’m happy as it seems. And I don’t even needed to be scared to be this way.

I think as much as I grow up, my life is getting better. Not because I’m old, but just because I’m acting different enough to sail right up to great oceans, discovering new places, new adventures, new lovers and, specially, new ways to love myself at first. And thank you! Thank you for making me believe I am powerful than my fears.

Anúncios

Vamos falar de Silva e Marisa Monte?

15368942_1211523708884598_616960622_o

Este post está um pouco atrasado, eu sei. O cantor Silva lançou um CD de regravações, de interpretações de músicas da Marisa Monte.

Pra quem não sabe, Silva é um novo cantor, compositor e multi-instrumentista da música brasileira. Contém três álbuns de estúdio: Claridão, Vista Pro Mar e Júpiter, ambos com sonoridades próximas ao pop, o synthpop, sem perder traços da música tradicional brasileira.

Pois bem, o novo álbum “Silva canta Marisa” é uma compilação de 12 sucessos de Marisa Monte na voz do cantor. Até aí tudo bem. Comprei o álbum na Livraria Cultura, bem em seu lançamento. Comecei a ouvir em uma viagem e fiquei impressionado. Não só pelas produções, ou pela voz do Silva, mas por uma nostalgia que há tanto não tinha encontrado.
Lembro-me do primeiro álbum que ouvi de Marisa Monte: “Verde Anil Amarelo Cor de Rosa e Carvão” – o de capa rosa. Eu ouvia no carro dos meus pais sempre que voltávamos pra Santos, do interior. Ouvia muito “Na Estrada”, cantarolando os “las” que se repetiam pela canção; “Não é Fácil” e sua letra complicada para ser decorada; “Ainda Lembro” – música que abre o álbum do cantor – eu cantarolava erroneamente os versos; Eu ganhei o álbum “Memórias, Crônicas e Declarações de Amor”, bem em seu lançamento, da minha vó. Eu era bem criança, mas já gostava muito. Das cantoras que já ouvi na vida, a que mais ouvi foi Marisa Monte. São algumas lembranças valiosas que foram resgatadas.

Não tive muitos caprichos quando criança, não era consumista e não tinha tudo que eu queria, mas regatar essas pequenas lembranças com meus pais, com meus avós, com minha tia, na escola, no meu quarto, brincando de carrinho e, tudo isso em apenas alguns minutos que o álbum tocou. Realmente, a beleza está nas pequenas coisas. Fiquei calmo novamente.

Não que Marisa Monte seja minha cantora favorita. Até sei muito pouco sobre ela. Pretendo conhecer muito mais depois deste primoroso trabalho do Silva. Obrigado por resgatar um pouco do que já vivi, dos meus momentos bons, da minha história (que há tempos estava escondida e esquecida). Obrigado Silva. Obrigado Marisa.