Aprendendo com os erros

Parte 3.jpg

É um fato que as escolas atuais estão cercadas por avaliações formais. A nota é o que mais importa, o grito, a autoridade se torna superior e as relações sociais acabam se tornando escassas. Entretanto, tanto na vida, quanto na escola, aprendemos com o erro.

O erro é um meio de analisarmos um fato, uma afirmação incorreta ou atitudes desleais, tentando transformá-los em algo correto. Quando fazemos sempre certo, quando não erramos, não conseguimos pensar nas consequências que um possível erro poderia trazer para a sua vida. Com a percepção da incoerência, pensamos duas vezes no assunto, raciocinamos melhor e dificilmente iremos cometê-la novamente.

Na prática escolar é a mesma coisa. Todos enfrentam momentos difíceis em sala de aula. Quando isso ocorre, geralmente culpamos o aluno bagunceiro ou a má administração do ambiente escolar, mas o problema pode nem estar no aluno, na sala, na direção ou na coordenação. O problema pode estar em nós mesmos: no jeito em que tratamos as pessoas (no caso, os alunos), no jeito que acatamos ordens, no jeito que colocamos em prática nossos planejamentos. Erros são comuns. Temos só que aprender a lidar com eles de uma forma mais natural.

Também enfrentei momentos difíceis em sala de aula. Momentos onde pensei em desistir de tudo, ou nunca mais voltar a pisar em uma escola. Mas aprendi uma valiosa lição enquanto passava por todas as constantes adversidades e com meus erros.

Quando entrei para dar aula pela primeira vez, meu planejamento era um horror. Mal planejado, curto, sem atividades interessantes. Foi o meu maior erro e meu maior acerto. Errei ao trazer atividades muito infantis para crianças mais velhas. Errei ao dar jogos muito complicados. Errei ao gritar algumas poucas vezes.

Mas foi com o erro que fui me transformando. Me adaptando a uma nova realidade. Aprendi o quanto é importante acreditar no meu potencial profissional em primeiro lugar, sem jamais largar o meu lado predominante emotivo. São crianças! Elas precisam de atenção, carinho e cuidados que, muitas vezes, não encontram em casa. Era – e ainda é – complicado, para mim, ver uma criança com problemas em casa e, consequentemente com problemas na escola, e não poder fazer nada.

A autoridade também pode gerar erros. Você é autoridade em sala de aula, mas isso não te dá direito de inferiorizar o outro. Jamais um professor pode usar de sua autoridade para ridicularizar, prejudicar ou beneficiar um aluno.

Em 2017, nós, professores, e nós, seres humanos, vamos errar muito (na mesma proporção que acertamos, por favor). O erro te dá uma oportunidade de uma segunda chance para fazer melhor. E vamos deixar de culpar o outro por possíveis problemas pessoais. Mais amor, por favor.

* Este é o terceiro e último de três posts sobre educação que serão postados no mês de dezembro, visando uma educação de qualidade e forte em 2017.

Anúncios

3 comentários em “Aprendendo com os erros

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s