A problemática emocional no filme “O Grinch”

Grinch

O filme “O Grinch” encantou crianças e adultos em seu lançamento, no final do ano 2000. Dirigido por Ron Howard – também diretor das duas adaptações cinematográficas de Dan Brown: “O Código Da Vinci” e “Anjos e Demônios” – e estrelado por Jim Carrey, o filme é uma adaptação da obra “How the Grinch Stole Christmas” (em português: Como o Grinch Roubou o Natal). Uma produção Universal Pictures, o filme ainda rendeu três indicações ao Oscar: melhor figurino, melhor direção de arte e melhor maquiagem, dos quais apenas levou o prêmio de melhor maquiagem.

Do renomado autor infantil Dr. Seuss, o filme mescla comédia e fantasia e é o primeiro livro do autor a ser transformado em um longa-metragem. Além da história original, presente no livro de 1957, o roteiro traz conhecimentos novos sobre Grinch, o personagem principal, além de novas músicas e novos jogos de palavras rimados, comuns nos livros de Seuss.

O filme se passa em Whoville (Quemlândia), terra dos “quem”, fantasiosos moradores da cidade imaginária. Era um povo apaixonado pelo Natal e fascinado pelas compras dessa época. O Grinch é o personagem principal da história. É uma grande figura verde, com traços humanos, que se orgulha de ter um coração cada vez menor e que odeia o Natal.

O filme explica que sua repulsa pela data se deve após uma frustração com um presente que ele havia feito para dar de presente para, Martha May, uma garota que ele gostava. Após várias gozações de seus colegas de sala, o Grinch acaba jogando o presente no chão, e sua paixão pelo Natal acabou se esgotando.

É observado uma questão de bullying escolar, onde um agressor, no caso, o futuro prefeito de Quemlândia, intimida um agredido, o pequeno Grinch, em meio a vários espectadores. A raiva que o personagem principal tem de seu próprio povo é convertida em ações maldosas e prejudiciais, contadas de maneira cômica.

Anos após o acontecimento, o Grinch se encontra com Cindy Lou, uma garota, filha do carteiro. Ele a salva de cair em um buraco e, desde então, ela tenta provar que, como ele a salvara, não era tão mal.

A principal questão abordada no filme se relaciona aos aspectos superficiais que se apresentam na época natalina. O filme nos traz uma reflexão de que o Natal se tornou um tempo comercial, onde as vendas e os presentes são mais importantes que a união. Cindy Lou tenta mostrar ao Grinch que nem todos pensam assim. Sua ideia é mostrar o verdadeiro significado do Natal.

Por mais que a solidão do Grinch seja reafirmada várias vezes no longa, ele não se sente incomodado ou desconfortável. Seu cachorro Max é sua única companhia e mesmo assim, os dois conseguem se divertir sozinhos e passam bons momentos.

Tudo muda quando Cindy Lou o convida para ser o animador de uma grande festa. Lá, Grinch acaba sendo humilhado por seu antigo agressor de escola, o prefeito Augustus Prefeito Quem. Como vingança, o grande personagem verde rouba todos os presentes e árvores de Natal de todos os cidadãos de Quemlândia.

Em sua clássica cena vestido de Papai Noel, o Grinch chega na casa de todos com um trenó. Ao ver que, na noite de Natal, os quem não se importaram com a falta de presentes e, ainda mantinham o sentimento de amor e união, ele pensou: “Talvez o natal não se compre no mercado. Talvez o natal possa ter muito mais significado”. Após essa constatação, acompanhada de uma cena cômica, seu coração começa a bater mais forte, crescendo três vezes. Ele acaba chorando, colocando para fora suas emoções mais reprimidas. Ele e Cindy devolvem os presentes e todos passam o Natal com muita alegria, união e comemoração.

Por fim, o filme traz uma abordagem natalina diferente dos outros. Traz a inocência e, ao mesmo tempo, trabalha as diferentes emoções de Grinch de maneira direta e consciente. É o segundo filme natalino de melhor bilheteria e, até os dias atuais, rende críticas divididas. É uma das obras mais conhecidas de Dr. Seuss e uma com significados mais evidentes e redirecionados para a vida real.

Referência:
O Grinch. Direção: Ron Howard. Produção: Linda Fields, Brian Grazer, Todd Hallowell, Ron Howard, Aldric La’auli Porter, Louisa Velis e David Womark. Universal Studios, 2000. DVD (104 min).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s